Aula4- Propriedades da madeira [Somente leitura] .Retra§£o e inchamento ‰ a...

download Aula4- Propriedades da madeira [Somente leitura] .Retra§£o e inchamento ‰ a propriedade de alterar

of 53

  • date post

    08-Nov-2018
  • Category

    Documents

  • view

    212
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Aula4- Propriedades da madeira [Somente leitura] .Retra§£o e inchamento ‰ a...

  • 1

    MATERIAIS TCNICAS E ESTRUTURASII

    MADEIRACARACTERSTICAS E

    PROPRIEDADES

    MADEIRA

    Parte slida dos troncos das rvores, que se encontra dentro da sua casca.

    Material elstico, de pouco peso, isolante e fcil de trabalhar.

  • 2

    MADEIRA

    Produto Natural;

    Proveniente de vegetais completos (flores, folhas, caule e razes)

    MADEIRA

    De acordo com a germinao e crescimento:

    ENDGENAS desenvolvimento de dentro para fora no servem para estruturas

    Palmeiras; Bambus...

    EXGENAS desenvolvimento de fora para dentro servem para produo estrutural

    Ip; Peroba; Pinho do Par...

  • 3

    Seo Transversal

    MEDULA

    Centro do tronco

    Forma cilndrica

    Mais macia do que a madeira envolvente

    Seo Transversal

    CERNE

    Tecido lenhoso

    Cor escura

    Usada na construo

  • 4

    Seo Transversal

    BORNE

    Cor clara

    Circulao da seiva

    Camada mais jovem que se transforma em cerne

    Seo Transversal

    CMBIO VASCULAR

    D origem madeira

  • 5

    Seo Transversal

    LBER

    Camada geradora da casca

    Circula a seixa elaborada

    Seo Transversal

    CASCA

    Camada protetora dos tecidos da rvore

  • 6

    Seo Transversal

    RAIOS LENHOSOS

    Lminas radias mortas no cerne e vivas no borne

    Favorecem o fendilhamento da madeira

    Propriedades Fsicas

    Anisotropia

    Umidade

    Dureza

    Dilatao trmica

    Retrao e inchamento

  • 7

    AnisotropiaDiz-se de um corpo fisicamente homogneo, mas cujos valores de certas propriedades fsicas e qumicas variam com a direo: longitudinal, radial e transversal.

    ltransversa.Dir

    radial.Dir

    allongitudin.Dir

    ltransversa.Dir

    radial.Dir

    allongitudin.Dir

    Umidade

    GUA DE CONSTITUIO

    a parte integrante da matria lenhosa

    GUA DE IMPREGNAO OU ADESO

    retida pelas membranas ou paredes de matria lenhosa

    GUA LIVRE

    enche as fibras lenhosas, desaparece depois do derrube ou corte da rvore

  • 8

    DurezaDepende de fatores como:

    Quanto mais velha maior ser a dureza;

    A madeira do cerne mais dura do que a do borne;

    A madeira de rvores de crescimento lento mais dura do que as de crescimento rpido

    Dilatao Trmica

    A dilatao trmica minorada pela retrao, que age no sentido contrrio, devido a perda de umidade que acompanha o aumento de temperatura.

    O coeficiente de dilatao na direo transversal 8x maior do que na direo longitudinal.

  • 9

    Retrao e inchamento a propriedade de alterar suas dimenses e volume quando o teor de umidade varia at30% de umidade.

    Abaixo de 30% de umidade o inchamento e a retrao so proporcionais ao teor de umidade.

    ANTNIO PRADO

    CASA CARLOS ROTTA FILHO

    Data da construo:entre 1930 e 1931

    Residencial

  • 10

    ANTNIO PRADO

    CASA ANTNIO GUERRA

    Data da construo:entre 1900 e 1910

    Residencial

    ANTNIO PRADO

    CASA NAPOLEO DALLA ZEN

    Data da construo:em 1917

    Comercial (curtume)

    Residencial

  • 11

    ANTNIO PRADO

    CASA LUIZ SGARBI

    Data da construo:em 1914

    Escola Pblica

    CURITIBA

    Memorial da imigrao polonesa, inaugurado em 13 de dezembro de 1980, na visita do Papa Joo Paulo II a Curitiba.

  • 12

    SO PAULO

    Ponte MLC -USP/ 2 - Campus

    So Carlos-SP

    Defeitos

    NS

    Se formam nos pontos em que os ramos se unem ao tronco

    Diminui o valor da madeira

    Reduz a resistncia

    D origem a fendas

  • 13

    Defeitos

    FIBRA TORCIDA OU REVIRADA

    As fibras no se desenvolvem paralelamente ao eixo, mas sim em espiral.

    Devem ser utilizadas apenas como estacas, postes , pilares sem funo estrutural.

    Defeitos

    MADEIRA ENCURVADA

    rvores cujos troncos no cresceram retas.

    Se o comprimento for pouco extenso, pode-se utilizar como barrotes.

  • 14

    Defeitos

    EXCENTRICIDADE DA MEDULA

    Devido ao vento e a proximidade de rochas, aparece a medula descentrada.

    Se for pequena, no diminui as qualidades da madeiras. Caso contrrio, reduz elasticidade e resistncia.

    Defeitos

    IRREGULARIDADES DOS ANIS DE CRESCIMENTO

    Causado por bruscas alteraes no desenvolvimento da rvore

    Tem menos valor comercial, por ser pouco elstica e se partir com facilidade

  • 15

    Defeitos

    FENDAS

    Rachas no sentido longitudinal, devido aos gelos e tambm insolao e dessecao da madeira

    Defeitos

    FENDAS ANELARES

    So rachas largas que desintegram os raios medulares

    Inutilizam totalmente a madeira

  • 16

    Defeitos

    FENDAS ACEBOLADAS

    Separao circular dos anis decrescimento

    Originam-se do frio e do vento intenso.

    A madeira desseca-se

    Defeitos

    FENDAS EM PATA-DE-GALINHA

    Chegam at o borne e/ou at a superfcie exterior

    Acontece devido ao envelhecimento da medula

  • 17

    Defeitos

    DUPLO BORNE

    Deve-se aos frios intensos e prolongados que impedem a transformao do cmbio vascular em borne e deste em cerne, ficando morta uma zona do borne.

    Variao das Propriedades

    Posio de origem na rvore

    Maior resistncia na base e nas camadas inferiores do tronco

    Maior resistncia no cerne do que no borne

    Influncia de defeitos

    Classificam as madeiras estruturais em:

    Primeira, segunda e terceira categoria

  • 18

    Variao das Propriedades

    Influncia de umidade

    A resistncia diminui at atingir o ponto de saturao das fibras de 30%, aps este nvel permanece constante.

    Influncia de temperatura

    A resistncia sofre reduo com o aumento da temperatura e vice-versa.

    Fluncia da madeira

    Deformao lenta sob a ao de cargas demoradas.

    Variao das Propriedades

    Relaxao

    Em deformao constante a tenso elstica sofre relaxao.

    Ruptura retardada

    Submetida a cargas durante longo perodo, a pea estrutural poder romper-se aps dias ou meses.

  • 19

    Variao das Propriedades

    Resistncia a efeitos dinmicos

    A resistncia maior para cargas de longa durao.

    Resistncia fadiga

    A resistncia fadiga, em geral maior dos metais.

    Classificao das madeirasde construo

    Macias

    Madeira bruta usada em forma de troncos para postes, escoramentos, estacas, etc.

    Madeira falquejada seo quadrada ou retangular, utilizada em postes de madeira, cortinas cravadas, estacas.

    Madeira serrada mais utilizada. Os troncos so desdobrados nas serrarias em dimenses padronizadas.

  • 20

    Industrializadas

    Madeira laminada e colada usada largamente na Europa. A madeira cortada em lminas e coladas sob presso com adesivo prova de gua.

    Madeira compensada as lminas so coladas com as fibras em sentido alternado.

    Classificao das madeirasde construo

    Industrializadas

    Madeira reconstituda as fibras so unidas por presso com ou sem adio de ligante.

    Madeira aglomerada formada por lminas impregnadas de material ligante. Sem fim estrutural.

    Classificao das madeirasde construo

  • 21

    MDF

    MDF medium density fiberboard

    uma chapa fabricada a partir da aglutinao de fibras de madeira com resinas sintticas e ao conjunta de temperatura e presso. Para a obteno das fibras, a madeira cortada em pequenos cavacos que, em seguida, so triturados por equipamentos denominados desfibradores.

    HDFHDF high density fiberboard

    So chapas com resistncias fsico-mecnicas melhoradas para aplicaes que requeiram alta resistncia flexo, suportando pesos elevados ou repetidos impactos.

    Estas chapas obtm-se aumentando a quantidade de fibras, de resina aglutinante, e modificando o ciclo produtivo.

    Uso em: escadas, prateleiras industriais, tampos de bancadas industriais, estruturas de mesas, componentes de cadeiras, assoalhos.

  • 22

  • 23

  • 24

    Classificao comercial da madeira

    Quanto resistncia:

    Duras Provenientes de rvores frondosas e de crescimento lento (Dicotiledneas, que possuem folhas achatadas e largas). Exemplo: Ip, Aroeira e Carvalho

    Macias Provenientes em geral das conferas. Tem folhas em forma de agulhas ou escamas e apresentam crescimento rpido. Exemplo: Pinho e eucalipto.

    Classificao comercial da madeira

    Quanto ao nmero de defeitos:

    Primeira Isentas de defeitos pela inspeo do mtodo visual normalizado e enquadradas nas tabelas 8 e 9 da NBR 7190 em relao a sua resistncia. Cada tipo de madeira deve no mnimo atingir determinada resistncia.

    Segunda Quando no atender aos critrios acima.

  • 25

    Ensaios de Norma

    NBR 7190/1997

    Projeto de estruturas de madeira

    Medidas de propriedades fsicas

    Umidade

    Densidade

    Dureza

    Ensaios de NormaNBR 7190/1997

    Projeto de estruturas de madeira

    Medidas de propriedades mecnicas

    Compresso paralela e normal s fibras

    Trao paralela e normal s fibras

    Flexo

    Cisalhamento paralelo s fibras, na lmina de cola

    Fendilhamento

    Resistncia trao na emendas

    Resistncia nas ligaes mecnicas

  • 26

    Ensaios de Norma

    NBR 7190/1997

    Projeto de estruturas de madeira

    Medidas de resistncia dinmica

    Resistncia aos impacto na flexo

    Classe de Madeiras

  • 27

    Classe de Madeiras

    Classe de Madeiras

  • 28

    Classe de Madeiras

    Formas Comerciais

    Prancho_________________ 15,0 x 23,0 cm Prancho_________________ 10,0 x 20,0 cmPrancho_________________ 7,5 x 23,0 cm

    V